Procuradores abrem investigação para apurar morte de jogador da Fiorentina

Procuradores italianos abriram uma investigação para apurar se a morte de Davide Astori, zagueiro e capitão da Fiorentina, pode ser considerada um homicídio culposo (quando não há intenção de matar). A autópsia acontecerá nesta terça-feira.

Antonio de Nicolo, procurador da Udine, na Itália, cidade onde os atletas estavam concentrados para disputar a 27ª rodada do Campeonato Italiano, disse em entrevista à TV RAI que a autópsia será realizada para “descobrir se isso foi uma trágica fatalidade ou se alguém poderia ter detectado algo”. Além disso, Nicolo indicou que não há indícios de homicídio doloso (quando há intenção) ou suspeita sobre qualquer pessoa. O velório de Astori será realizado na quinta-feira, em Florença.

Na Itália, os procuradores são obrigados a investigar casos dessa natureza. “O que nos faz questionar essa versão (de morte natural) é o fato de estarmos falando de um jovem atleta, que é acompanhado de perto por doutores, porque ele é um profissional. Se ele tivesse qualquer problema cardíaco, eles já saberiam, já que os atletas são constantemente submetidos a exames”, explicou.

Na manhã do último domingo, Davide Astori, de 31 anos, foi encontrado morto na concentração da equipe, com a suspeita de que tenha sofrido um ataque cardíaco enquanto dormia. Diante da situação, a federação suspendeu a rodada do Campeonato Italiano.

Da Gazeta Esportiva